‘Segunda Chamada’: histórias de superação em uma escola de ensino noturno

Foto de cena
Em Segunda Chamada, nova série da Globo escrita por Carla Faour e Julia Spadaccini, com estreia marcada para esta terça-feira, 8/10, está a luta de professores que não desistem de pensar na educação de seus alunos, ao mesmo passo que precisam conviver com outros conflitos pessoais. À frente estão igualmente alunos que estudam à noite ao mesmo tempo que lidam com seus conflitos pessoais. No centro da trama circulam as histórias de superação de uma escola de ensino noturno para jovens e adultos.

Foto da escola da série

“Esse recorte talvez seja o patinho feio da educação. É a ponta mais esquecida, é onde tem menos verba, é um lugar onde o próprio professor não é tão valorizado. Então a série joga luz sobre essas pessoas invisíveis”, diz Carla Faour.

As autoras contam como os episódios serão apresentados ao público:
“Cada episódio é uma noite. A gente trata um conflito, uma virada, uma finalização desse conflito, todo em uma noite”, explica Julia.

A inspiraçã para a série veio da dura e concreta realidade: “A gente queria que tivesse muita veracidade. Então a nossa base é totalmente fundamentada em casos reais”, ressalta Julia.
“Todos os casos que a gente aborda teve um amplo processo de pesquisa. Fomos à escola, visitamos, conversamos com muitos alunos, professores, personagens reais que depois a gente transformou em ficção. A gente bebeu da realidade, olhou, viu, conviveu com esses personagens. A gente fala de todas essas dificuldades, mas também das superações, e tudo baseado em histórias reais”, reforça Carla.

“As pessoas podem esperar uma série que toque. Porque a gente está falando de educação, esperança, transformação. É uma série que tem suspense, ação, tensão, mas tem afeto”, destaca Carla.
Leia também:
Dupla da Venezuela atua na série ‘Segunda Chamada’, da Globo

Veja também